FeiraTec

Regulamento Cadastra Projeto Projetos Cadastrados



Visualização de Projetos:

Nome do Projeto: Compensado de fibra e casca de coco
Categoria: Categoria_3

Integrantes

(Máximo 3 alunos)

Nome Completo: Denilson Barros Silva
Email: denilson2002.silva@gmail.com
Celular: (91) 991293854
Nome Completo: Thaís Paiva Pinheiro
Email: thaispinheiro1898@gmail.com
Celular: (91) 991293854
Nome Completo: Antônio Carlos de Oliveira Moreira Neto
Email:
Celular:
Prof. orientador: Dalila Costa Silva
Prof. coorientador: Miguel

Dados sobre o projeto

Justificativa: O coqueiro é uma planta de fácil adaptação, principalmente em regiões de clima tropical, como o Nordeste do Brasil (SILVA e BARROS, 2017) e úmido como a região Norte. A espécie Cocos nucifera L., em especial o coco verde, é muito apreciado pelos consumidores, tanto sua polpa quanto o líquido em seu interior. Castilhos (2011) diz que 8,1 bilhões de unidades dessa espécie são produzidos no Brasil e de acordo com dados do IBGE, o Pará vem aumentando sua produtividade em relação a essa planta. No entanto, Corradini et. al. (2009) relatam que 80 a 85% do peso bruto do coco verde é constituído por partes que se tornarão resíduos e logo serão descartadas de maneira irregular em diversos locais como em ruas, praias, aterros sanitários e lixões, causando diversos problemas ambientais como poluição, entupimento dos esgotos e alagamento das ruas. Todos esses fatores trazem não somente danos ambientais como também risco a saúde da população. Em consonância a isso, a elaboração deste trabalho foi motivada a partir das observações cotidianas feitas nos espaços públicos, principalmente na praias do município de Barcerena, onde o descarte inadequado da casca de coco (Cocos nucifera) no ambiente é intenso. Diante disso, o presente trabalho visa reduzir o acúmulo desse material nesses espaços e propor a reutilização da casca e da fibra desse fruto para a produção artesanal de um compensado biodegradável, que possa ser utilizado em diversas finalidades (como na construção civil e produção de móveis). Contudo, espera-se a extensão deste projeto, a fim de tornar todos os processos de sua produção mais acessível e com o uso materiais alternativos e ecologicamente sustentáveis.
Objetivo: Objetivos: Geral Reduzir o descarte irregular do coco verde (Cocos nucifera L.) jogado nas ruas das cidades e das praias, propondo uma medida de reutilização desse material, através da produção de um compensado biodegradável, a fim de tornar esses ambientes menos poluídos. Específicos • Diminuir a poluição nas praias e nas ruas da cidade; • Reutilizar casca e fibra do coco para a produção artesanal de um compensado biodegradável que possa ser utilizado em diversas finalidades (como na construção civil e produção de móveis); • Despertar o interesse da indústria e da sociedade para a utilização de um produto barato e natural, substituindo o material convencional. Problemática: Sabemos hoje, que os fatores mais preocupantes nos tempos atuais são os diversos impactos ambientais gerados a partir do grande número de descartes inadequados de resíduos sólidos no ambiente. Um exemplo disso, são os descartes incorretos e excessivos das cascas de cocos comercializados nas cidades e, principalmente, nas praias, que podem causar sérios problemas tanto para o meio ambiente, quanto para a saúde e para o bem estar da população. Analisando essa situação e valorizando a busca pela sustentabilidade e a responsabilidade socioambiental, levantou-se o seguinte questionamento: Qual seria a maneira adequada de reutilizar as cascas do coco, transformando um material sem utilidade em uma alternativa para a redução dos impactos causados no meio ambiente?
Procedimentos Metodológicos: A matéria-prima utilizada no processo, o coco verde, foi coletada das ruas e nas praias do município de Barcarena. Em seguida armazenamos o coco coletado em caixas de papelão para posteriormente realizarmos o processo de separação das partes do coco, no caso, o mesocarpo, o epicarpo e a casca rígida. Essas estruturas foram separadas e submetidas ao processo de secagem. Após estarem secos, os materiais foram triturados em duas etapas: primeiro trituramos juntos o mesocarpo e o epicarpo (casca externa), e depois trituramos a casca rígida (ouriço). Para a fabricação do compensado era necessário que o mesmo fosse prensado, logo fizemos a primeira prensa do projeto. Ela foi feita de madeira e era prensada com um bloco de concreto, no entanto, não obtivemos um bom resultado. A partir daí, buscamos informações de como fabricar uma prensa artesanal e eficiente e produzimos a segunda prensa, formada por duas chapas de ferro, contendo dois furos em cada uma e atravessamos dois eixos com porcas em cada ponta. Além disso, fizemos também uma forma de madeira de formato retangular onde as chapas forma encaixadas. A união dos componentes do coco foi feita utilizando-se goma de tapioca e depois de misturar tudo, iniciamos a montagem do compensado na forma obedecendo a seguinte sequência: - 1ª camada: casca triturada (mesocarpo e epicarpo) misturada com goma; - 2ª camada: casca rígida triturada misturada com a goma; - 3ª camada: casca triturada (mesocarpo e epicarpo) misturada com goma. Por fim, fechamos a forma com a outra chapa e apertamos as porcas com duas chaves para prensar o compensado. Após um dia secando, o compensado foi retirado da forma e exposto ao sol para a completa secagem.
Suporte Estrutural Necessário: Mesas e cadeiras

(Os equipamentos estarão sujeitos a disponibilidade da escola e serão confirmados pela Coordenação da Feiratec